Saiba por que as eleições não vão influenciar o mercado imobiliário

Na 3a feira, dia 3 de novembro, os americanos votaram no presidente dos EUA para os próximos quatro anos. Essa decisão terá um grande impacto em muitos aspectos na vida deste país, mas o mercado imobiliário residencial não será um deles.

Os analistas tentarão medir o impacto de possíveis mudanças nos regulamentos na área residencial, como por exemplo, nos programas para compradores pela primeira vez, e qualquer outra situação com base em quem vai ganhar as eleições. O mercado imobiliário, no entanto, permanecerá forte por quatro motivos:

1. A demanda é forte entre os Millennials

A maior geração do país começou a entrar no mercado imobiliário no ano passado, quando alcançaram a idade de se casar e ter filhos - dois fatores importantes para a aquisição de uma casa. Como o Wall Street Journal relatou recentemente:

 “A geração do milênio, há muito vista como perenes locatários que relutavam ou não podiam comprar, agora estão emergindo como uma força motriz na recente recuperação do mercado imobiliário dos EUA.”

 2. As taxas de financiamento estão historicamente baixas

As taxas de juros que estão historicamente baixas também estão impulsionando a demanda em todas as gerações. A forte demanda criada por esta queda nos juros contrariou outras interrupções econômicas (por exemplo, pandemia, recessão, desemprego recorde).

 Além disso, Freddie Mac previu recentemente que as taxas de financiamento permanecerão baixas no próximo ano:

“Um dos principais motivos da forte recuperação no campo imobiliário são os juros de financiamento, que estão historicamente mais baixos do que nunca… Dada a fraqueza na economia em geral, os sinais do Federal Reserve é de que a taxa de juros permanecerá baixa até que a inflação aumente, e não dê sinais de inflação; prevemos que as taxas permanecerão estáveis no próximo ano. Do terceiro trimestre de 2020 até o final de 2021, prevemos que as taxas de hipotecas permaneçam inalteradas em 3%.”

 3. Os preços continuam a subir

A contínua falta de oferta de casas existentes para venda, juntamente com o aumento na demanda do comprador, fez com que os especialistas prevejam uma forte valorização dos preços nos próximos doze meses.

4. A história se repete

Embora seja verdade que o mercado desacelera ligeiramente em novembro, em todos os anos de eleições presidenciais, o ritmo retorna rapidamente. Aqui vai uma explicação do porquê no relatório da indústria de construção residencial da BTIG, no Homebuilding Industry Report:

Isso pode indicar que os compradores em potencial podem se tornar mais cautelosos diante da incerteza das eleições nacionais. Essa cautela é temporária e, em última análise, resulta em vendas adiadas, já que a economia, empregos, taxas de juros e confiança do consumidor têm papéis muito mais significativos na decisão de compra de uma casa do que o resultado de uma eleição presidencial nos meses que se seguem.”

Ali Wolf, Economista-chefe da Meyers Research, também observa:

“A história sugere que a desaceleração se concentra em grande parte no mês de novembro. Na verdade, o ano seguinte à eleição presidencial é o melhor do ciclo de quatro anos. Isso sugere que a demanda por novas moradias não é perdida por causa da incerteza eleitoral, mas é adiada para o ano seguinte, desde que a economia continue na linha”.

BOTTOM LINE

Não há dúvida de que esta é uma das eleições presidenciais mais controversas da história do nosso país. O resultado terá um grande impacto em muitos setores da economia. No entanto, como Matthew Speakman, economista da Zillow, explicou na semana passada:

“Embora a economia geral esteja mais diretamente relacionada com os desenvolvimentos políticos e com o coronavírus, as tendências recentes sugerem que o mercado imobiliário - que basicamente resistiu a todos os desafios relacionados à pandemia até agora - continuará seu forte impulso nos próximos meses.”

Quer saber mais?
VENHA CONVERSAR CONOSCO.
 
Temos opções maravilhosas pra você.
COMPRE & VENDA COM SEGURANÇA.
 
Ligue/Text 1 (954) 809-5318

[email protected]

Post a Comment